Quem sou eu

Minha foto
PEDAGOGA - especialização em PSICOLOGIA ESCOLAR - Coordenação Josefina Castro e PSICOPEDAGOGIA CLÍNICA, INSTITUCIONAL E HOSPITALAR - Coordenação da Pp - profª Genigleide da Hora - Mestranda em Educação Inclusiva.

sábado, 10 de maio de 2014

MULHER E SEUS PAPÉIS


     Nos tempos atuais, a imagem da mulher já não é mais a mesma. Mulher agora é mãe, esposa, profissional e ainda precisa estar atenta à saúde e ao bem-estar dela e da família. Em meio a tantas funções que tem de exercer, se dividir para realizá-las com sucesso não é tarefa fácil. Conciliar a vida profissional, com inúmeras cobranças, metas e desafios e ao mesmo tempo enfrentar um mundo de fraldas e mamadeiras, exige muito jogo de cintura. E administrar bem todos esses papéis é fundamental para que ela consiga se sentir realizada. “A mulher já conquistou o seu espaço no mercado de trabalho; o desafio é mantê-lo e conseguir conciliar todos os possíveis papéis. Tarefa que não é só da mulher; a sociedade precisa aprender a dividir responsabilidades”, afirma a Gestalt-Terapeuta e Mestre em Psicologia Clínica Dra. Thaís Ribari Fujioka. Confira a entrevista completa com a profissional:

 Atualmente a mulher desempenha vários papéis. É mulher, mãe, esposa, profissional... Qual é a melhor maneira de conciliar todas essas funções?

 A mulher de hoje precisa aprender a ser uma boa administradora do tempo e do lar, de maneira diferente da mulher de algumas décadas atrás. É importante saber delegar, dividir e acompanhar tarefas e funções que cabem a cada membro da família (marido e filhos) e funcionárias (babás e/ou empregadas domésticas). Com os filhos, é importante ajudá-los a aprender a ser autossuficientes, colocando-os para arrumar a própria bagunça de brinquedos ou roupas, por exemplo, sempre acompanhando e ensinando de perto. Já com os maridos é bom dividir as tarefas, como acompanhar os filhos na escola e em casa, fazer as compras ou, pelo menos, realizar essas atividades em conjunto. Cabe à mulher o papel de mãe, mas ela não é a única responsável pela criação dos filhos. Se existe condição financeira que permite ter o apoio de uma babá, empregada doméstica ou de um motorista, fica ainda mais fácil administrar todos os papéis na vida da mulher moderna.

 Em relação aos filhos, como conciliar o tempo fora de casa com a atenção que eles requerem?

É importante definir atividades e momentos de convivência com os filhos. Por mais que o tempo possa não ser tão extenso, é fundamental que seja vivido com o máximo de “presença” e amor. Além disso, é fundamental que a mãe tenha paciência para estar com os filhos. O ato de buscar as crianças na escola, brincar com elas, acompanhar tarefinhas, sentar para assistir a um filme, enfim, a atenção pode ser dada de várias maneiras. Cabe a cada mãe e pai estabelecer esses momentos da forma que melhor se enquadrem na rotina da família.

Como não deixar o papel de mãe influenciar na relação com o marido?

É necessário que a rotina seja estabelecida e estruturada, na casa e na família, de maneira bem definida, cada um realizando sua função. Dessa forma, é possível que a mulher tenha tempo e disposição para cuidar dela mesma e da relação com o marido. O marido, por sua vez, sente-se muito mais “vivo” no núcleo familiar, por fazer parte de situações de cuidados e de educação dos filhos e da casa. É fato que a maioria dos maridos de hoje ajuda mais suas esposas com os filhos e com a casa do que os maridos de antigamente. E isso é fundamental para uma boa relação.

Quando a mulher não consegue conciliar esses papéis, que tipo de consequências psicológicas ela pode ter?

Eu percebo que a culpa, a sensação de fracasso e baixa autoestima são os sentimentos que acompanham as mulheres que não conseguem conciliar esses papéis.

Em que momento a mulher deve procurar ajuda?

A mulher deve procurar ajuda quando se sente muito culpada e não consegue deixar de ser escrava do lar, da família, e se sente destruída emocional e fisicamente. E também quando o excesso de obrigações chega a ponto de atrapalhar o relacionamento entre marido e mulher.

A família pode ajudar?

Hoje, uma das principais ajudas que as mães têm são das avós, que em muitos casos ajudam na criação dos netos, mas isso pode variar de família para família, uma vez que o papel das avós também tem se modificado ao longo do tempo.

A psicoterapia pode ajudar?

A psicoterapia pode contribuir para que a mulher entenda e internalize que ela precisa carregar a responsabilidade de certas atividades, mas não por tudo e por todos, ajudando-a a ser menos “onipotente”. A sociedade mudou e os papéis de cada um dentro da família precisam ser transformados. Ou seja, a mulher moderna não deve associar os papéis da mulher de antigamente aos de hoje, pois antes as mulheres viviam quase que exclusivamente para a família e para a casa, sem se preocuparem em prover o lar e em estar bem física, emocional e socialmente. Hoje não é mais assim. A felicidade e o bem-estar de cada um é obrigação de todos que compõem uma família.

Dra. Thais Ribari Fujioka
Gestalt- terapeuta e Mestre em Psicologia Clínica
CRP 09/3846

6 comentários:

  1. Ótima matéria, bjos Angela, feliz dia das mães!!! Crys.

    ResponderExcluir
  2. Me sinto assim sobrecarregada ás vezes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Atualmente é a realidade da maioria de nós mulheres Paty. Mas conseguiremos. (rsrsr) Abraço!!

      Excluir